20 de novembro de 2019
ASPOL/PE informa: Defeito nas pistolas PT 24/7 da Taurus expõe policiais civis durante o trabalho

ASPOL/PE informa: Defeito nas pistolas PT 24/7 da Taurus expõe policiais civis durante o trabalho

Mesmo diante da vulnerabilidade dos equipamentos da marca, a Lei 10.826/2003 não abre espaço para a compra de armamento internacional quando há modelo semelhante produzido nacionalmente.

01.02.2016

A Associação dos Policiais Civis de Pernambuco (ASPOL/PE) alerta que são cada vez mais recorrentes os casos de disparo acidental por queda, sem o acionamento do gatilho, das armas Taurus, principal fornecedora desse tipo de equipamento de segurança do Brasil. Em Pernambuco, o cenário não é diferente. As armas de fogo da marca têm protagonizado diversos acidentes, que nem sempre são registrados como ocorrência. Preocupada com a segurança e bem-estar dos policiais, a ASPOL/PE faz as seguintes recomendações aos servidores da PCPE:

1) Registrar ocorrência com a natureza administrativa (caso não tenha algum ilícito penal envolvido) de “apreensão de arma de fogo da PCPE com problemas técnicos”;

2) Solicitar exame pericial de local, se o fato deixou vestígios;

3) Requerer exame pericial no armamento a fim de detectar possíveis defeitos de fabricação;

4) Comunicar à ASPOL/PE, se possível, com o encaminhamento da cópia da ocorrência.

Acidentes no Distrito Federal

Somente no Distrito Federal, há registros de mais sete acidentes com policiais civis. Coincidentemente, em todos os casos a arma cai no solo, dispara e o cartucho não é ejetado, mesmo com a trava de segurança acionada. Também já ocorreu de a pistola nem chega a cair no chão.

Perícia

As perícias que utilizaram um piso de concreto para simular a queda já identificaram a falha do disparo. Mesmo assim, os peritos do Instituto de Criminalística ainda não sabem apontar o defeito ou o motivo do disparo. As armas que apresentavam o defeito estavam em perfeito estado de conservação, sem sujeira e lubrificadas.

Indenização

Mesmo não admitindo publicamente o defeito nas armas, em agosto de 2015 a Taurus fez um acordo para pagar uma indenização de US$ 39 milhões em consequência de disparos acidentais por queda, sem o acionamento do gatilho. Foram incluídos na indenização incidentes com os equipamentos PT 24/7, Millennium (PT 111, PT 132, PT 138, PT 140, PT 145 e PT 745), PT 609 e PT 640. Movida em um Tribunal na Flórida, o acordo indica que é possível que os defeitos se repliquem no Brasil, o que deve ser investigado a fundo.

Sobre ASPOL/PE

ASPOL/PE
Escreva uma minibiografia para constar no seu perfil. Essas informações poderão ser vistas por todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top